sábado, 29 de abril de 2017

Erzsébet brasileira!


Não sabemos se houve realmente uma "Erzsébet brasileira", o que queremos dizer é que já recebemos exemplares da edição brasileira do romance gráfico de Nunsky

Publicado pela Zarabatana Books, pouco difere da edição portuguesa, excepto que tem badanas, é menos larga, a capa tem o logótipo da editora no cantinho e na contra-capa faz-se o aviso à navegação: Aconselhável para adultos! Não deveria ser "não-aconselhável para adultos"?
;)

Estamos bastantes felizes com o resultado pois esta é a nossa primeira venda de direitos de um livro para o estrangeiro e não será a única, em Outubro será a vez de The Care of Birds / O Cuidado dos Pássaros de Francisco Sousa Lobo para Espanha.

Entretanto começaram a sair resenhas no Brasil ao livro, ó: 

O diálogo mais imediato da arte de Nunsky é com o preto e branco de alto contraste dos trabalhos do norte-americano Charles Burns. A elegância das paginações convencionais do álbum tornam ainda mais impressionantes e macabros os crimes cometidos pela condessa. 
... 
A Graphic novel é bem rápida de ler e é quase como ver um filme nas páginas com quadros bem construídos e que fluem livremente. Um autor talentoso e rockstar, que tem um talento nato em contar histórias de terror mas que não tem tantos trabalhos quanto gostaria depois de conhecê-lo nessa graphic novel. Com um traço escuro e assustador, Nunsky, conta a história da temível Erzsébet Báthory, a Condessa Sangrenta, acusada de matar muitas jovens e se banhar em seu sangue em busca da juventude eterna antes de ser condenada a viver trancada para sempre em seu castelo.
... 

Ah! Esta edição teve o apoio do DGLAB já nos esquecíamos!

sexta-feira, 28 de abril de 2017

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Erzsébet - BRAZILIAN EDITION out



Erzsébet
by
Nunsky

17º volume of the CCC CollectionPublished by Chili Com Carne. Edited by Marcos Farrajota. Design by Joana Pires. 144 pages black/white, 16,5x23cm, color cover. 500 copies.
ISBN: 978-989-8363-24-4

Sinopsis: Erzsébet is a graphic novel based on the life and times of the infamous sixteenth century Hungarian aristocrat Elizabeth Bathory, aka the bloody countess. The author always wanted to do something in the horror genre and this story had all the ingredients he was looking for, and better still, it really happened! Nunsky (b. 1972) tried to materialize into graphic form those ominous ice cold atmospheres and the maddening loneliness and isolation, which, combined with almost absolute power, slowly pushed that damaged character to commit the most ineffable acts of insanity.

Buy at our online shop and Quimby's (Chicago)















...

About the author: Nunsky is a comics artist from the north of Portugal and has published most of his work in the Mesinha de Cabeceira zine. In 1997 he made an incredible 39 page comix for the 13rd issue and the 5th anniversary of this mutant zine. Actually this was the first professional looking book that the Chili Com Carne Association made, starting an important publishing history in the Portuguese scene. The comix was entitled 88 and was a unique comix in Portuguese panorama at the time - and still is nowadays! Not only the "psycho-goth" ambience was different from all Portuguese comics but also the graphic quality was astonishing for such artist coming from nowhere. It reminded the Love & Rockets and Charles Burns but had it’s own voice. Since Nunsky is such a lone wolf, almost nobody knows about him and his whereabouts. After the 88 comix he created a rock band called The ID's and that's it. Or that’s what we thought…

...


Feedback: 
Very good comic, inspiring to make logos!!! 
(Belgium artist known for this work for Metal bands logos, he is really the meister of the black art!) ... 
He gets that spirit from Jess Franco movies, where the most important is the iconography and esoteric symbols than a logic narrative, which builds a tension and insanity during the book...
(Portuguese artist and musician in Sektor 304, Méchanosphère, Pagan) 
... 
Best Drawing at BD Amadora 2015 
(most important Portuguese mainstream comics festival)
... 
Best Graphic Novels 2015 (Portugal) by Pedro Moura in Paul Gravett site : Apart from authors that have been working continually, or newcomers conquering their own turf, I’d like to mention a book by someone who made a sort of comeback in early 2015. The author known as Nunsky is somewhat of a solitudinarian, staying apart from the most visible local “comics scene”, and while he works professionally with drawing, he seldom publishes comics. After projects in the late 1990s, this is his first longer form book. Erzsebét (with English subtitles) is the biography of the infamous early 17th century Hungarian princess mass-murderer, Elizabeth Báthory, a.k.a. “The Blood Countess”. The author weaves history and fantasy into a dense portrait of the character and her deeds, creating thus a classic take on the genre of horror comics. Adapting his stark, thick lines – akin to wood-engraving, to an extent - to sober composition work and a contained palette, close to artists such as Michael Kupperman or Igor Haufbauer, the book is less dynamic and fast-paced than hieratic, taut and austere. A complete biography that focuses on the emergence of Elizabeth’s very “dark side”, one could argue that Erzsebét is also a study about evil and salvation, class divides and how madness is often the key to escape desperation. 
...
First Chili Com Carne book with International Rights sold: Brazilian edition by Zarabatana Books in 2017 with DGLAB support

Relatório pró Mariano #2 - que deve sair em Maio!

Fikaris admirado com a edição portuguesa de Megg, Mogg & Mocho, Farrajota alegre com o livro do australiano e a fofura em pessoa a promover o seu Mariano. Algures em 2016.

Relatório Anual de Fanzines e Edição Independente de BD portuguesa de 2016 será publicado este ano no fanzine Mariano #2 (um projecto único em Portugal, diga-se) que deverá sair em Maio!

Depois de publicar os últimos dois relatórios no Maga e no Portuguese Small Press Yearbook continuo a preferir o "formato papel" para este texto, nada a fazer... Para este ano, a ideia é ter desenhos sacado ao caderno de esboços do Rodolfo Mariano para alegrar o texto... ou talvez não! 
(talvez não "alegrar", certo é que o "Rod" acompanhe este projecto!)


sábado, 22 de abril de 2017

Singular - Uma festa para os 21 anos da Bedeteca de Lisboa (nota de imprensa)

cartaz de André Pereira


Singular 
Uma Festa para os 21 anos da Bedeteca de Lisboa

(texto da Bedeteca): A Bedeteca de Lisboa é um equipamento de referência acarinhado pelos fregueses dos Olivais (porque é aí a sua residência desde 1996), pelos munícipes de Lisboa (porque faz parte da rede BLX) e por quem a visita vindo do resto do país e do estrangeiro – deixando estes últimos sempre o melancólico comentário “no meu país não há nada assim…”. 

 No dia 22 de Abril de 2017 terá um dia cheio. Ou melhor, o dia será cheio para quem visitar a Bedeteca! 

Durante o horário de funcionamento (10h > 18h) da Biblioteca dos Olivais, onde está integrada, haverá uma GRANDE FESTA DA BANDA DESENHADA. 

 Foram convidados DEZ colectivos de BD, Design e Ilustração, dos mais activos em Portugal e MAIS UM finlandês, assim sem querer (...) Da BD mais artística à Manga para “teenagers”, do Design experimental à Ilustração para a infância, esta Festa irá juntar uma enorme “bibliodiversidade” graças à forte expressão de todas dessas entidades convidadas, oferecendo um grande número de estilos e géneros gráficos e narrativos, tal como a Bedeteca sempre apresentou desde a sua fundação. 

O passado e a história da instituição não é esquecido e até é celebrado com alguns dos projectos. 

A pluralidade dos colectivos acaba por ser irónica dado ao título da iniciativa mas explica-se pelo facto de cada colectivo ter criado uma peça “singular” unicamente para esta comemoração… oferecendo verdadeiras prendas aos visitantes desse dia! 

É a eles que devem dar os “parabéns”.

A Chili Com Carne ofereceu uma exposição que tanto comemora os 10 anos do atelier finlandês KutiKuti como estes 21 anos da Bedeteca!

sexta-feira, 21 de abril de 2017

"a" maiúsculo com círculo à volta de Rui Eduardo Paes na Tortuga (Disgraça)


Muitas vezes, e não em poucos casos abusivamente, o punk foi/é identificado com o anarquismo. Em outra área, são habituais as analogias da chamada "livre-improvisação" com os princípios libertários, mesmo quando quem toca são músicos com perspectivas políticas e sociais influenciadas por correntes marxistas como o trotzkismo e o maoísmo. Seja como for, há mais conexões entre Música e Anarquia do que aquelas que se supõe. Um contributo para o seu desvelamento, tanto quanto para a desmitificação de algumas ideias feitas, está neste novo livro de Rui Eduardo Paes, o segundo do autor na colecção THISCOvery CCChannel, depois de Bestiário Ilustríssimo.

O novo livro de Rui Eduardo Paes relaciona as músicas de hoje (jazz, improvisação, pop-rock, noise, electrónica experimental, música contemporânea) com as novas tendências do pensamento libertário, descobrindo analogias mas também desmistificando ideias feitas. Daniel Carter, Lê Quan Ninh, John Cage, Fela Kuti, Frank Zappa, Thom York (Radiohead) e Nicolas Collins são algumas das figuras retratadas pela escrita analítica e de dimensão filosófica, mas não raro com humor e alcance provocatório, do ensaísta e editor da revista “online” jazz.pt. Entre os temas percorridos ao longo dos 10 capítulos amplamente ilustrados estão o ocultismo, a espiritualidade, a ciência, a ficção científica, a tecnologia, o amor e o sexo, com referência a autores como Robert Anton Wilson, Hakim Bey, Murray Bookchin, Starhawk e Ursula K. Le Guin.

A
O livro é ilustrado por vários artistas da Associação Chili Com Carne: Joana Pires, Marcos Farrajota, André Coelho, Jucifer, Bráulio Amado (acumulando o cargo de Designer do livro), José Feitor, David Campos, Daniel Lopes, André Lemos, João Chambel e Ana Menezes.

A
Edição da Chili Com Carne e Thisco
80p p/b; 16,5x22cm
ISBN: 978-989-8363-21-3
PVP: 10 euros (50% desconto para associados, lojistas e jornalistas) à venda na loja em linha da CCC, Livraria do Simão (Escadinhas de S. Cristovão, Lx), Flur, Letra LivreMatéria PrimaFábrica FeaturesPó dos LivrosArtes & Letras, UtopiaLAC, FNAC, Glam-O-RamaLouie Louie do PortoApop ShopBlack Mamba, Tortuga (Disgraça) e MOB.

A
Historial : lançado em 29 de Maio de 2013, na Trem Azul, Lisboa, com a participação do escritor Rafael Dionísio e do músico Paulo Chagas, seguido de concerto de Shameful Iguana [Luís Lopes: guitarra eléctrica; Hernâni Faustino: baixo eléctrico; Marco Franco: bateria] ...

A
Sobre o autor: Com quase 30 anos de actividade repartida entre o jornalismo cultural, a crítica de música e o ensaísmo teórico, Rui Eduardo Paes é autor de vários livros sobre as músicas criativas. É o editor do site jazz.pt, membro da direcção da associação Granular e autor dos press releases da editora discográfica Clean Feed. Foi um dos fundadores da Bolsa Ernesto de Sousa. Assessorou a direcção do Serviço ACARTE da Fundação Calouste Gulbenkian e integrou o júri do concurso de apoios sustentados do Instituto das Artes / Ministério da Cultura para o quadriénio 2005-2008.

A
os textos estão soberbos e o trabalho gráfico ficou excelente! parabéns a quem concebeu e materializou este objeto literario-grafico-musical absolutamente único! António Branco ... novo livro traz é que o ponto de vista essencial é o ponto de vista político associado às manifestações estéticas contemporâneas. O título é, de resto, todo um programa de intenções: "A" Maiúsculo Com Círculo à Volta". O anarquismo histórico e as suas formas libertárias de expressão são intercaladas, pelo autor, com múltiplas abordagens a músicos, escritores, cientistas ou artistas multimédia. Um livro que, uma vez mais, prova que o autor rejeita o conformismo de pensamento e ousa analisar novas abordagens, novas relações, novos pontos de vista sobres os fenómenos artístico-culturais-sociais-filosóficos do mundo contemporâneo (...) relaciona as músicas de hoje (jazz, improvisação, pop-rock, noise, electrónica experimental, música contemporânea) com as novas tendências do pensamento libertário, descobrindo analogias mas também desmistificando ideias feitas. Entre os temas percorridos ao longo dos 10 capítulos amplamente ilustrados estão o ocultismo, a espiritualidade, a ciência, a ficção científica, a tecnologia, o amor e o sexo, com referência a autores como Robert Anton Wilson, Hakim Bey ou Murray Bookchin Kubik in O homem que sabia demasiado ... Dando sequência a uma consistente abordagem político-musicológica, por vezes fraturante e polémica, REP continua a revelar neste novo conjunto de reflexões a lucidez intelectual, a densidade de análise e o rigor enciclopédico que sempre caracterizaram a sua escrita. António Branco in Jazz.pt ... 4 estrelas (em 5) in Público ... Atenção, isto não é apenas um livro: é um perigoso "cocktail molotov" para o cérebro. E, já agora, também para os ouvidos. Nuno Catarino in Ípsilon / Público ... ambicioso, extraordinariamente documentado, e uma porta perfeita para teses de maior valor intelectual. Bons Encontros ... No abandonando su sentido del humor, desde la espiritualidad, el sexo, el amor, el ocultismo a temas más de actualidad, la ficción científica, la nueva tecnología (...) Oro Molido





segunda-feira, 10 de abril de 2017

Saudades do Tremor #4

montes de teenagers açorianos com ganas pró desenho, turminha cheia de personalidade!!!

o mesmo não se pode dizer da rata mini

Take it or Leave it invadiu até o w.c. do Arco 8  










numa hora, tiraram tudo das paredes, sucesso de vernissage-finissage!!!

a melhor banda do Tremor!!!

QCDI #3000 [press-release] ... loved by Yves Tumor!

ASTRONOMERS LOOK AT THE STARS BUT THEY ONLY SEE THEMSELVES

IT IS 1851 AND THE 18TH BRUMAIRE IS OUT. IN IT KARL MARX SAYS THAT, WHEN PUSHED FOR A MOMENT IN HISTORY, WE LOOK FOR SIGNS OF GHOSTS, AND CANNOT HELP BUT COME BACK IN TIME SEEKING THE SAME POSES, THE SAME SENTENCES, AND THE SAME IMAGES OF GRATENES. THE ALIEN BELONGS TO THE FUTURE AND IT IS THE REVERSE OF THE GHOST, A PROJECTION.  EVEN WHEN CAPILTALISM IMAGINES ITS ALIEN OUTSIDE OF IMPERIALISM AND RESOURCE EXPLOITATION, THERE IS LITTLE HOPE: THE ACTUAL IMAGE OF THE EXTRATERRESTRIAL WILL ARRIVE TO LATE. JUST IMAGINE IF THEY'RE OUT THERE, WATCHING US RID TOWARDS SELF-DESTRUCTION... HOW EMBARRASING.



Last Spring, Clube do Inferno had two new book releases, both with Chili Com CarneQCDI #3000 and Maga.

QCDI #3000 is published under Chili Com Carne’s giant-sized comics anthology series QCDA. Previous issues of QCDA already showcased work of Clube's members — André Pereira in issue 1000 and Hetamoé in issue 2000. This new volume, however, is entirely dedicated to Clube do Inferno and its authors André Pereira, Astromanta, Hetamoé and Mao

As a collective, they bring an added layer of meaning to the anthology, including a subtitle to our set in the front cover: Fear of a Capitalist Planet.


As in the preceding QCDAsQCDI #3000 is composed of four four-pages stories enclosed into different paths between the fantastic, the political and the oneiric. Dragons, policemen and misshapen pizzas populate the iconography of this project, developing an idea previously explored in our exhibition Lightning Riding Waves of Fire in El Pep (2014): that we are living in the post-catastrophe. We’ve placed ourselves as outsiders, in the future, in a parallel reality, to retrieve alien, but not alienating perspectives. 


QCDI 3000 was presented last May 30th at XI International Comics Festival of Beja, and can be bought online at Clube do Inferno's or Chili Com Carne's shops and at Ediciones Valientes (Spain), Quimby's (Chicago), Fat Bottom Books (Barcelona), Seite Books (Los Angeles), Orbital (London)... 

Meanwhile, you can check these cute teaser trailers:




This edition got support from IPDJ and Wormgod
...
Best Graphic Novels (Portugal) by Pedro Moura in Paul Gravett site: QCDI 3000 is actually the third volume of an ongoing project to highlight new, young comics artists who are willing to push the envelope of the art of comics-making. This particular issue is concentrated on a collective called Círculo do Inferno, a little like the Hellfire Club, and they’re no gentlemen either. The authors are Astromanta, Hetamoé, Mao and André Pereira (...). This oversized, tabloid-like anthology presents four-page pieces by each artist, not necessarily narrative: Astromanta presents a sort of science fiction essay on precariousness; Hetamoé crunches shojo manga with post-Marxist politics via high fantasy tropes; André Pereira creates a seemingly light story that actually focuses on the current political-economic crises of Portuguese society (with absolutely brilliant page compositions); and Mao brings together two distinct narrative tracks, an unclear palace intrigue and the slow progress of an oozing pizza-monster (but also an exercise in experimental composition). Weird, creative, dynamic, indeterminate in their moral but surefire in their humour and politics, this collective has not only produced top-notch contemporary comics that go well beyond classic genres and forms, but also provide much food for thought, and not only about comics themselves. 

BERTOYAS said: très grand et beau, Mao, very strange, intéressant,...

Yves Tumor said (at Tremor Fest): great mag, mate!

sábado, 8 de abril de 2017

tremor FINAL hoje

não trouxemos a máquina do tempo nem os búzios mas vai ser assim hoje!!!

Tremor - dia 4 (ONTEM!)

yeah!

FOTOS da Vera Marmelo aqui

Tremor - dia 3

outra vez atrasado, ritmo complicada da ilha

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Chili Com Carne e MMMMNNNRRRG @ TREMOR (Ponta Delgada)

(desenhos de Elias Taño, Hetamoé e Nunsky)

TAKE IT OR LEAVE IT
mostra - performance - mercado de livros

de
Associação Chili Com Carne 
(colectivo de zines, Lisboa, 1995)
e
MMMNNNNRRRG
(editora art brut comix, Lisboa, 2000)

@ Galeria Arco 8, Ponta Delgada, Açores; 
7 de Abril de 2017;
no âmbito do Festival Tremor


Vamos oferecer impressões dos nossos livros feitos nos últimos cinco ou mais anos. 
Só tens de escolher o teu desenho favorito e tirá-lo da parede! 

Porquê? 
Porque não somos uma puta corporativista gananciosa! 
Porque gostamos de oferecer coisas! 
Algumas com valor económico... outras não! 

Neste caso as impressões não tem nenhum valor económico porque não passam de desperdício inDUSTrial – são provas de livros antes de serem impressos. Até poderíamos vende-las porque nos dias que correm as pessoas compram de tudo e qualquer coisa sem critério. Até os museus e galerias conservam qualquer tipo de Arte mesmo nos materiais mais pobres e degradáveis - desde esponjas pintadas a literalmente merda de artista. 

O múltiplo, a cópia, o simulacro de uma peça de Arte não tem valor per se mas pode ser guardada, protegida e criada especulação na tua colecção privada caseira. Pode ser ridículo! Sabes que mais!? Take it or leave it!

Tremor - dia 2

com atraso bem sabemos... atchim!

quarta-feira, 5 de abril de 2017

terça-feira, 4 de abril de 2017

ccc@tremor


Vamos ao Tremor fazer uma exposição mitra e um zine sobre o festival... Procuramos malta que queira fazer BD durante o evento! Contactem-nos! Rápido!

domingo, 2 de abril de 2017